O que acontece com uma empresa que não comprova os seus dados de Logística Reversa?

Com a fiscalização mais rígida e as novas obrigações do Acordo Setorial de baterias, os riscos são altos para as empresas que não comprovam a realização da Logística Reversa. Para os ajudar os comerciantes varejistas, o IBER editou um Manual de Conduta completo que você confere aqui:

A fiscalização e as exigências das autoridades ambientais no Brasil se intensificaram desde a assinatura do Acordo Setorial de baterias junto ao Ministério do Meio Ambiente, há um ano. As empresas da cadeia produtiva de baterias, incluindo as comerciantes varejistas e atacadistas, podem ser autuados, multados se não comprovarem a sua logística reversa e até mesmo serem impedidos de renovar ou emitir suas licenças de operação e alvarás de funcionamento.

Pior: os dados das empresas irregulares serão expostos individualmente e o custo para uma implementação e comprovação de um sistema individual de logística reversa são muito altos.

O caminho mais eficaz e econômico é participar de um sistema coletivo de logística reversa, com uma entidade gestora atuando na comprovação dos dados, interlocução com autoridades ambientais e ajudando diretamente no cumprimento da legislação vigente e na correção de problemas e melhorias de processos. Para a cadeia produtiva de baterias, a entidade gestora reconhecida para o Brasil é o Instituto Brasileiro de Energia Reciclável.

Comentários