IBER promove visita técnica da CETESB a distribuidores de baterias em São Paulo

O objetivo foi apresentar, in loco, todo o processo de armazenagem temporária de baterias inservíveis e o papel do distribuidor na logística reversa do produto, além de reforçar o debate acerca da manutenção de isenção do CADRI às empresas da cadeia produtiva de baterias chumbo-ácido.

O trabalho integrado com os associados é um diferencial do IBER, assim como a interlocução com autoridades ambientais e órgãos de fiscalização do País, estados e municípios. Na última semana, a equipe do IBER acompanhou duas visitas técnicas da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB a distribuidores de baterias em São Paulo: a Comercial Paulista (Moura) e a J Vaz (Cral).

O objetivo foi apresentar, in loco, todo o processo de armazenagem temporária de baterias inservíveis e o papel do distribuidor na logística reversa do produto. E reforça o debate coordenado pelo IBER para manutenção da isenção do Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental (CADRI), às empresas da cadeia produtiva de baterias chumbo-ácido.

Hoje, o distribuidor atua como ponto de coleta, realizando não apenas o recebimento, mas também o controle e armazenamento temporário dos resíduos gerados nos próprios estabelecimentos, até que esses materiais sejam transferidos para uma Central de Recebimento ou Triagem, ou ainda enviados diretamente à destinação final ambientalmente adequada. Esse processo ocorre sem que haja nenhum tipo de descaracterização do produto, tampouco manuseio que possa resultar em contato com material considerado tóxico.

A equipe da CETESB – composta por Lia Helena Monteiro de Lima Demange, a gerente de resíduos, Camila Bittencourt Medeiros, José Contrera, Cristiano Kenji e Patrícia Barbosa – puderam avaliar diretamente nos dois distribuidores como o processo de armazenamento temporário acontece na prática. Foram recebidos por Petraccone Braga Ribeiro, na Comercial Paulista, e José Roberto Vaz, na Cral, ambos acompanhados por Stefannie Germano, do IBER.

O nível de detalhamento e segurança dos dados fornecidos pelo sistema de logística reversa do IBER, sendo estratégico para fiscalização em tempo real de órgãos ambientais, permitiu à Cetesb validar o processo de controle associado à prática.

Esse trabalho tem permitido aos associados da entidade gestora se beneficiarem com redução de burocracia, custos e comprovação de sua regularidade perante as normas ambientais vigentes.

Além da credibilidade das informações apresentadas pelo sistema IBER e a possibilidade de rastreamento dos resíduos que ele fornece, permite a isenção de documentos em vários estados, o que é fundamental para a praticidade e segurança em todo o processo de destinação. Isso também amplia a competitividade das empresas associadas e contribui para ampliar os índices de destinação ambientalmente correta na cadeia produtiva e baterias estimulando as empresas a participarem da entidade gestora e realizarem a gestão e destinação da forma adequada.

Comentários