IBER edita guia completo para orientar comerciantes de baterias a atenderem a PNRS

Para orientar as empresas que atuam na venda de baterias automotivas, para motocicletas e industriais, no atacado e no varejo, o IBER preparou um guia completo, que além de informações sobre os avanços legais, apresenta as boas práticas e diretrizes para implementação da Logística Reversa. 

No último ano, mudanças importantes aconteceram na legislação ambiental para o setor de baterias chumbo-ácido, sendo a principal delas a assinatura do Acordo Setorial, em agosto de 2019. Novas regras e metas passaram a vigorar, todas em linha com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), de 2010.  

A PNRS determina o compartilhamento de responsabilidades em todos os envolvidos na cadeia de baterias. Por isso, todas as empresas que participam sejam na fabricação, reciclagem, armazenamento, distribuição e na comercialização dos produtos precisam comprovar a sua regularidade. A comprovação de uma gestão regular, integrada e comprometida com o Meio Ambiente, deve, portanto, atender as obrigações previstas no Acordo setorial assinado em âmbito nacional e nos termos de compromisso dos Estados onde tiver sido pactuado.   

Para orientar as empresas que atuam na venda de baterias automotivas, para motocicletas e industriais, no atacado e no varejo, o IBER preparou um guia completo, que além de informações sobre os avanços legais, apresenta as boas práticas e diretrizes para implementação da Logística Reversa. 

A maneira mais econômica e eficaz de implementar a lei e atualizar seus sistemas é por meio de uma entidade gestora. Para a cadeia de baterias, a entidade é o Instituto Brasileiro de Energia Reciclável, o IBER. As entidades gestoras são neutras, sem fins econômicos e criadas com o propósito de apoiar o setor privado no cumprimento de suas responsabilidades ambientais.  

Comentários