IBER é convidado para projeto-piloto de implementação de reciclagem automotiva no Brasil

O Instituto participa da iniciativa que já conta com Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Gerdau, Instituto Aço Brasil e outras entidades gestoras de setores com sistemas de logística reversa já implementados para alavancar a destinação ambientalmente adequada e alinhada com a regulamentação vigente de centros de reciclagem de automóveis.

Um projeto-piloto desenvolvido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Gerdau e Instituto Aço Brasil, conta agora com a participação do Instituto Brasileiro de Energia Reciclável – IBER. É o programa de Reciclagem Automotiva, voltado para veículos usados e que envolve desde a contribuição na construção de diretrizes para alcançar a redução nas emissões de poluentes até a implementação da logística reversa de componentes de carros usados, de acordo com a legislação vigente.

O IBER irá atuar em algumas ações, dentre elas no acompanhamento da destinação dessas baterias. Será elaborado um guia completo para conduzir o processo de logística reversa das baterias dos veículos. O projeto reúne as entidades gestoras de todas as autopeças que já possuem sistema de logística reversa implantados: pneus, óleo e lubrificantes e baterias. O objetivo maior é garantir a destinação ambiental adequada desses produtos no momento em que o carro é desmontado e vendido como sucata, por exemplo, segundo as normas vigentes.

A ideia principal é criar um Centro piloto para reciclagem de veículos, compartilhando experiências bem sucedidas no Brasil, como o case da Gerdau, que hoje adquire automóveis em leilões e promove a descontaminação, fragmentação, retirada de óleos e combustíveis para então proceder com o reaproveitamento das partes em aço em sua siderúrgica. A partir desse exemplo, o projeto visa estruturar procedimentos para todos os outros componentes.

A estruturação de um modelo de reciclagem automotiva, com potencial para ter alcance nacional, será impulso para a Economia Circular dentro do setor, e tem o apoio do Ministério do meio-ambiente, fortalecendo a estruturação de uma cadeia produtiva sustentável, especializada em reaproveitamento e gerando novas oportunidades de emprego e renda no Brasil.

Comentários